Grandes Corridas: Ayrton Senna e GP de Estoril, 1985

por Leandro Castro*

A temporada de 85 prometia belas disputas na pista, as grandes equipes da época estavam se associando cada vez mais aos fabricantes. Era o caso da Lotus com a Renault, McLaren com a TAG Porsche e a Brabham com a BMW. A primeira etapa foi aqui no Brasil e teve como vencedor Alain Prost, seguido de perto por Alboreto.

A segunda etapa aconteceu em Portugal, palco da história de hoje. Era a segunda visita às terras lusitanas em poucos meses, já que a temporada de 84 se encerrou por lá. As condições climáticas em abril não estavam boas, e no dia da corrida fazia frio e chovia. Ayrton Senna, que estava apenas começando sua segunda temporada na categoria, fez a pole com sua Lotus. Foi a primeira do piloto brasileiro. Ao seu lado largaria Prost, com sua McLaren, e em terceiro estava Keke Rosberg, com a Williams.

Portugal – Senna e sua Lotus parada no dia do treino

Momentos antes da largada, começou a chover intensamente. E quem larga na frente com essas condições climáticas tem uma enorme vantagem perante os demais competidores. Ayrton sabia disso e manteve a ponta, seguido por Angelis, que fez uma ótima largada. Senna foi abrindo distância dos demais, colocando três segundos de vantagem logo nas duas primeiras voltas. Dez mais tarde, a distância seria de 12 segundos e assim foi mantido.

No grupo dos que estavam atrás, os grandes nomes foram cometendo erros e abandonando a prova. Patrese, Berger, Rosberg e até Prost saíram da prova devido acidentes. Senna continuava lá na frente, colocando mais de um segundo por volta.

A chuva foi aumentando até que o próprio Ayrton, líder da prova, achou que a corrida deveria ser encerrada, pois era muita água. Mas parecia mesmo que os comissários estavam simplesmente admirando toda a capacidade de pilotagem do brasileiro, que se mantinha na pista com extrema perícia. A corrida continuou até atingir o limite de duas horas.

Lotus_Ayrton_97T

Senna ganhou sua primeira corrida com uma margem (acreditem) de 62 segundos para o segundo colocado. Era apenas a 17ª corrida do brasileiro, que provava assim, pertencer mesmo a uma classe diferente de pilotos.

Ao lado Senna no pódio: Foi como se estivesse sozinho na pista

* Leandro Castro é colunista de automobilismo e escreve também para o formulatotal.wordpress.com

Leia mais:

Saiba como foi a primeira vitória de Schumacher pela Ferrari >>

Conheça um dos pilotos mais talentosos da Fórmula 1 >>

Conheça um dos pilotos mais talentosos da Fórmula 1 >>

Mais sobre automobilismo >>

Um comentário em “Grandes Corridas: Ayrton Senna e GP de Estoril, 1985

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *