Hard and soft, diferença entre wares

por Marcos Nonaka*

Tem gente que não usa hardware nem software, mas usa Tupperware
Tem gente que não usa hardware nem software, mas usa Tupperware

Saber diferenciar hardware e software é uma das coisas mais básicas da informática e da computação. Iremos abordar esse assunto para explicarmos adiante como as coisas funcionam na “realidade”, quando utilizamos um computador. Introduziremos também um pouco sobre os códigos utilizados na programação.

O hardware pode ser considerado a parte de máquina de um computador, ou a parte física, palpável. O software é a parte lógica ou programada, construída para comandar o hardware. Não existe software sem hardware, mas pode existir hardware sem software. Um exemplo simples para representação, seria: Os ingredientes de um bolo, mais o forno, a forma e etc seriam os hardwares, a receita seria o software e o bolo pronto seria o resultado do trabalho realizado entre os dois.

Traduzindo o que disse anteriormente, a receita (software) é o conjunto de instruções elaborado para se proceder com o conjunto de ingredientes, forno e forma (hardware) para se chegar ao resultado pretendido (bolo).

Muito comédia essas fotos
Muito comédia essas fotos

Esses conjuntos de instruções (softwares) existem sob a forma de código e também podem ser considerados programas, que em alguns casos são representados de forma gráfica. No caso da maioria dos programas que utilizamos em casa, no trabalho, na escola ou faculdade, os códigos são “mascarados” por essa interface gráfica, que é o modo visual pelo qual conhecemos o Windows, MSN e Internet Explorer, por exemplo. Na realidade tudo o que acontece na tela do monitor é trabalhado pela máquina (hardware) na forma de códigos. Esta foi a maneira encontrada pelos engenheiros da computação para fazer com que as duas linguagens “conversassem”, hardware e software.

Existem vários tipos de código utilizados na computação, alguns deles já existiam e vieram da eletrônica, como o binário e o hexadecimal, que são o denominador comum entre as máquinas e a programação por comandos. Porém, também existem códigos para interpretar códigos. Parece coisa de louco, mas isso acontece porque aquele programinha simples para bater papo na internet, por exemplo, não conversa diretamente com a máquina, mas com outro programa, que por sua vez conversa com outro programa até chegar no hardware.

Vou cobrar cachê pelo marketing
Vou cobrar pelo marketing

Mas para que tanta complicação? Por que não fazem logo programas que conversem diretamente com a máquina?

Porque assim como o hardware, os códigos mais próximos dele também são muito complexos para o usuário leigo. Como a computação também evoluiu bastante para o uso pessoal, novas linguagens de programação surgiram com a finalidade de traduzir as anteriores e “facilitar” o contato, afastanto o usuário da máquina. São as chamadas linguagens de alto nível, mas aí já entramos na parte técnica do assunto e essa não é nossa finalidade.

Para ajudar a entender e reforçar o que é cada um, elaborei um pequeno exercício didático. Vale pesquisar no Google para responder, até mesmo para complementar nosso ensinamento. Segue o exercício.

Pedro foi à uma loja de informática e comprou 1 disco rígido, 2 memórias RAM, 1 sistema operacional, 1 software antí-virus, 1 placa-mãe, 1 game de futebol para PC e um processador. Identifique o que é hardware e o que é software (os comentários no final da página podem ser utilizados para responder o exercício).

No próximo artigo falaremos sobre como um computador se comporta durante a execução de um programa. Até lá!

* Marcos Nonaka é editor, redator e escreve para a coluna de tecnologia e informática

Meu computador – Compreendendo a execução de programas >>

Conhecendo as partes de um computador >>

Mais sobre tecnologia e informática >>

Página principal >>

3 comentários em “Hard and soft, diferença entre wares

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *